Marca pessoal é uma coisa que ou você cuida diariamente ou ela se cuida sozinha. Pode parecer mais fácil ela se cuidar sozinha, não é? O problema é que sozinha ela se perde, acaba falando coisas que você não queria falar, mete os pés pelas mãos e muitas vezes comunica através da ausência e do silêncio. 

Cuidar da sua marca pessoal não significa só vesti-la com trajes pomposos de trabalho, como: marca, logotipo, slogan, conteúdo, anúncios, marketing etc., porque, quando menos você espera, ela tira tudo e coloca sua roupa de ficar em casa: posts pessoais, opiniões, conversas informais, gestos, o modo como você trata as pessoas no seu dia a dia, entre tantos outros detalhes. 

Seja para empreendedores ou para profissionais com carreira em empresas, a marca pessoal é uma grande oportunidade de se destacar entre tantos profissionais e conquistar a autoridade que você tanto deseja. Por isso, o meu papel como mentora de negócios é alertar as pessoas para a importância de cuidar da sua marca pessoal e confiar esse trabalho a um especialista de Branding, de acordo com o tamanho que elas querem trazer para o negócio delas. 

Confira algumas dicas que aprendi na gestão da minha marca pessoal até aqui.

1. Priorize a sua marca pessoal 

Mesmo que você seja funcionário de uma empresa, a sua marca pessoal deve sempre vir antes da marca da empresa para a qual você trabalha. Isso porque não existem contratos de trabalho vitalícios, não é verdade? Isso vale também se você for dono de uma empresa, porque você pode querer vendê-la ou se dedicar a outros negócios no futuro. 

A sua realidade pode mudar de um dia para o outro, mas se você tiver uma marca pessoal forte e ativa, você terá a flexibilidade necessária para ter sucesso independentemente do negócio que você estiver focado.

2. Saiba quem é você e com quem quer falar

Leia também: Primeiro você tem um posicionamento, depois você é reconhecido e tem resultado!

Eu sempre digo que se as pessoas soubessem quem elas são de verdade, elas poderiam chegar onde quisessem. Mas como esse não é um caminho tão fácil como parece, muita gente vai remando sem saber para onde querem ir realmente. Aí vão parando pelo caminho e tentando gostar dos resultados que alcançaram até então meio sem querer, sabe como é? 

Pois então, busque essa clareza de quem é você, no que você é foda, quais são seus pontos fortes, pontos a desenvolver, seus valores, seus sonhos e aí junte tudo e misture com o seu público ou a sua persona. O que ela quer? Sonha? O que ela não aguenta mais viver? Busque um nicho, não tente agradar a todo mundo, especializa-se e agregue valor na vida do seu público. Alguns pontos para refletir:

  1. Quem é você, quais são suas principais habilidades, quais conhecimentos ou experiências você deseja compartilhar com as pessoas?
  2. Que associações e pensamentos as pessoas devem ter quando ouvirem o seu nome?
  3. Qual é a sua persona, seu cliente ideal? O que as pessoas devem saber sobre você e por quê?
  4. Que meios você pode usar para se comunicar com o seu público?

Construa sua marca pessoal baseado em você e na sua persona, identificando os pontos de conexão entre vocês e focando nos seus diferenciais mais genuínos.

3. Seja específico e não generalista

Crie um nicho e, se possível, crie um nicho dentro do seu nicho. As melhores marcas pessoais são as que conseguem ser mais específicas. Sendo assim, crie grupos, comunidades (no Telegram, por exemplo), envolva o seu público com conteúdo relevante e de valor agregado, se torne indispensável para essas pessoas. 

Isso facilita para que você vire uma autoridade e referência no setor. Quanto mais específico for este setor, mais fácil será de encontrarem seu nome para palestrar e participar de eventos, por exemplo.

4. Seja autêntico

Ser autêntico é ser você, sem forçar uma imagem que não combina com o seu jeito de ser e com o que você acredita. Então, não tente construir e, o que é pior, carregar uma imagem que não é sua. Lembre-se que você vai produzir conteúdo diariamente com essa imagem e, se ela estiver combinando com você, será muito mais fácil fazer o gerenciamento da sua marca, fácil e prazeroso, eu diria. 

A autenticidade de uma marca pessoal é medida também por quanto da sua vida há nela, ou seja, se você vive ela ou se ela existe só pra bonito. Portanto, crie uma marca pessoal condizente com o seu estilo de vida, com suas bandeiras e causas, com o que você é habilidoso em fazer e com o que você ama fazer.

5. Dê conteúdo para o seu conteúdo

Nessas alturas, você já sabe da importância de estar ativo na internet e nas redes sociais, não é? Porém, esteja atento para que sua imagem nas redes pessoais converse com seu perfil profissional, porque as pessoas não gostam nada de encontrar duas ou mais pessoas diferentes quando buscam por um nome. 

Além disso, procure fugir do óbvio e dos padrões de comunicação na internet. Saia um pouco do seu setor e visite perfis de diferentes profissionais, veja o que eles estão fazendo, como estão se comunicando, em que redes estão, quais as novidades que eles trazem, enfim, beba de outras fontes de vez em quando. Isso faz toda a diferença para uma marca pessoal.

Cuide do seu conteúdo diário com inteligência e consistência. Muitas pessoas podem ter acesso a você através dele, por isso, busque a coerência e a unicidade dos seus conteúdos e, mais do que isso, seja obcecado pela diferenciação. Eu sei que todo mundo quer se diferenciar, mas a verdade é que poucos estão conseguindo. E onde você acha ela, afinal? Aí dentro, onde estão seus tesouros mais genuínos e valiosos. Comece a cavar agora mesmo.

6. Provoque uma impressão positiva e duradoura

Sabe aquelas pessoas das quais você lembra sorrindo e quem você faz questão de ter sempre por perto? Seja você essa pessoa, ao vivo e na internet. Falam tanto da cultura da experiência e da necessidade de fazer com que os clientes tenham as melhores experiências com a compra, mas esquecem de falar para as pessoas fazerem isso também. 

Eu sei que cada pessoa é diferente da outra e que não dá pra ser engraçado e divertido da noite para o dia. Mas quem disse que precisa ser engraçado pra ser uma presença indispensável na vida das pessoas? Basta espalhar gentileza, simplicidade, simpatia e estar aberto a ouvir o outro. Vivendo dessa forma, você oferece momentos mágicos de interação e consegue encantar as pessoas naturalmente. 

Outra coisa que ajuda bastante para uma marca pessoal ser memorável é ter um estilo bem definido capaz de formar uma imagem única na lembrança das pessoas. Pode ser uma fala marcante, um slogan forte e diferente, um sotaque, uma característica que só você tenha. Isso tudo somado a uma marca bem construída esteticamente falando é o que impacta na sua imagem e o que constrói uma impressão positiva e duradoura sobre você e sobre o seu negócio.

7. Conte uma história

Você já deve ter ouvido falar desse tal de Storytelling, não é? Mas ao contrário do que muitos pregam por aí, contar histórias para ter uma marca forte não é um bicho de sete cabeças, pelo contrário, você só precisa usar menos a cabeça (a razão) e mais o coração (a emoção).

E não tente criar histórias que envolvam a sua marca, mas busque resgatá-las, porque elas já existem e estão todas guardadinhas em algum lugar de você e da sua trajetória. Use as mídias sociais para libertar essas histórias e você vai ver uma coisa incrível acontecer: as pessoas vão se conectar com a sua marca através dessas histórias porque elas são de verdade e falam de pessoa para pessoa e não de marca para pessoa, entende?

8. Seja consistente

Ser consistente é ter foco na imagem que você deseja passar para as pessoas, é ser congruente e coerente no seu discurso, nas suas atitudes e na sua imagem. É ser uma só pessoa no on-line e no off-line, no Facebook ou no Instagram, no post de hoje e no post do próximo mês. A consistência gera confiança e segurança, atributos que nenhuma marca pessoal quer deixar de ter.

9. Preste atenção em como você reage

Poucas são as marcas que conseguiram de primeira obter sucesso e se tornar um ícone mundial. Durante o nosso caminho, existem desafios que nos quebram ao meio (pelo menos essa é a sensação na hora) e parece que não existe uma saída. Mas uma marca pessoal ganha força quando ela reage e dá a volta por cima. 

As quedas e os desafios são o combustível de empresas com um mindset de aprendizado no lugar do fracasso, como as startups, por exemplo. Nessas empresas, o perfeito não entra, aliás, nem existe. Testes, MVP, pesquisas, tudo é aprendizado e constrói o conhecimento coletivo que a leva adiante. Inspire-se nessa forma de pensar e vá mudando seus conceitos.

10. Deixe um legado

O poder da marca pessoal é, sem dúvida, muito maior do que o de um negócio. Se você souber em detalhes o que você quer deixar para o mundo com a sua marca, mais significado e impacto ela terá na vida das pessoas.

Portanto, pense se o que você quer deixar está condizente com o que você está fazendo hoje. Se não estiver combinando, mude a rota e refaça o caminho. Sempre é tempo de mudar.

Cuide da sua marca pessoal como se fosse um tesouro, mas não a esconda, mostre toda essa força para o mundo! Ele está precisando de marcas com propósito e significado. E lembre-se que a marca pessoal não se limita ao que e a como você fala de si mesmo, ela abrange tudo o que as pessoas entendem da sua mensagem e de você. 

Sucesso!!!

Conheça a minha mentoria individual clicando aqui!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here