Sabe tudo o que eu falo sobre gestão de carreira e concretização de sonhos? Pois bem, são conceitos fundamentais para ser feliz com o que você faz e desenvolver uma trajetória de sucesso no desenvolvimento da sua equipe!

Mas ATENÇÃO: se você tem uma equipe, isso tudo não é só sobre você, é sobre cada pessoa que faz parte do seu time também. Afinal, sem ele, você e o seu negócio não estariam onde estão, concorda? 

Cada pessoa que forma a sua equipe tem seus próprios sonhos, objetivos e metas. Se eles convergem e combinam com os sonhos e metas da sua empresa ou negócio, ótimo. Caso contrário, o risco é você perder parcerias valiosas ao longo do caminho. 

Mas como fazer para que tudo corra na mesma direção? Vou falar sobre isso através de um jogo de pontuação. Para cada item que você marcar SIM, some 1 ponto. Ao final do artigo, você saberá a sua nota e o que deve fazer a partir daí. 

Topa o desafio? Então, vem comigo!

  1. Você costuma dar feedbacks com uma frequência planejada e não somente quando alguém comete algum “erro” para desenvolver sua equipe? SIM: 1 ponto

Acumular críticas ou reclamações e despejar tudo em uma única conversa, que pode acabar em demissão. Você provavelmente já viu alguém agir assim, não é mesmo? Ou ainda o colaborador, não vendo espaço para diálogo, fazer o mesmo e anunciar a sua saída.

Essas situações ocorrem por falta de feedback e excluem qualquer possibilidade de a pessoa trabalhar questões críticas e transformá-las em aprendizados e crescimento.

Um líder e um ambiente que estimulam a prática do feedback só têm a ganhar. A pessoa sente que não é só um número na equipe. Sente que a sua carreira é acompanhada de perto em cada etapa, que suas opiniões e sentimentos importam.

Além disso, se ela também pode dar feedback aos colegas e líderes, essa sensação de ter voz e relevância no grupo aumenta.

Não se esqueça de estar aberto e também pedir feedback da sua equipe. Trata-se do feedback ascensional. Você acha que vai se sentir vulnerável com essa atitude? Ótimo! Então, está no caminho certo.

Essa prática vem sendo valorizada nas organizações ágeis, que utilizam a tecnologia inclusive para isso. Mas é um hábito que precisa ser trabalhado com a equipe porque a maioria não está acostumada a opinar sobre gestão, como Peter Cappeli e Anna Tavis abordaram na matéria da Harvard Business Review intitulada “O RH torna-se ágil” (edição Abril 2018).

Leia também: Oferecer e ouvir feedback: uma ferramenta para crescimento pessoal

  1. Você se preocupa em proporcionar experiências positivas para os membros da sua equipe como faz com seus clientes? SIM: 1 ponto

Tratar os colaboradores e membros da equipe como principais clientes pode ser bonito na teoria, mas é ainda mais fantástico na prática. Quem consegue enraizar isso na cultura do negócio já sai ganhando.

Isso porque, se você enxerga essas pessoas como principais clientes, você vai fazer de tudo para proporcionar o melhor ambiente de trabalho e de vida, porque, afinal, as pessoas não estão lá só trabalhando, elas estão vivendo, aprendendo, trocando, sendo felizes, ou pelo menos, querendo ser. 

Para reforçar essa ideia, compartilho a citação de Diane Gherson, chefe de RH da IBM:

As empresas que estão implantando práticas da metodologia agile na administração de talentos estão dedicando muita atenção à forma como os funcionários vivenciam o local de trabalho – tratando-os de certa maneira como clientes.”

Por tudo isso, se você ainda não o faz, comece a olhar sua equipe como você olha seus clientes. Crie e cultive uma relação saudável com ela, proporcione bem-estar, desafios, aprendizado constante e personalizado, novidades.

Ouça, analise sentimentos e esteja aberto e atento ao que acontece no mundo e em como você pode aprimorar as experiências da sua equipe.

Leia também: Como reter e desenvolver talentos no seu time?

  1. Você acredita que vida pessoal e vida profissional são uma coisa só? SIM: 1 ponto

Se você busca desenvolver talentos na sua equipe da melhor maneira possível, a primeira crença da qual você precisa se livrar é a de que é possível separar vida pessoal da profissional.

Basta se colocar no lugar do outro, ou seja, quando você está com algum problema em casa ou outro pessoal, você consegue trabalhar como se nada estivesse acontecendo? Provavelmente não. O mesmo acontece com a sua equipe. 

Então, a minha dica é: tenha flexibilidade para entender o momento de cada um e some forças para ajudar as pessoas da sua equipe. Ignorar os problemas não os resolvem, pelo contrário, os aumentam. 

Outra coisa importante é estar atento e estimular hábitos saudáveis, incluindo alimentação e exercícios físicos. Isso é vida pessoal e profissional. Esteja alerta.

Leia também: Mindset de crescimento: como desenvolver liderança e alcançar a prosperidade

  1. Você tem tempo para a sua equipe e no seu desenvolvimento? SIM: 1 ponto

Ter tempo para a sua equipe não significa estar todos os dias e o dia todo junto dela. Significa estar presente, disponível para ouvir e ajudar, mesmo on-line. Ter tempo para feedbacks, para dar “bom dia”, para elogiar por um resultado, um trabalho ou uma atitude é fundamental.

Para que isso seja possível, você precisa se organizar e ter uma gestão do tempo eficaz. Trabalhar com prioridades, metas diárias e tarefas definidas ajuda muito no processo de  desenvolvimento da sua equipe.

  1. A sua equipe é capaz de trabalhar e entregar resultados sem a sua presença diária? SIM: 1 ponto

Se você respondeu SIM a essa questão, você sabe gerir sem centralizar tudo em você. Se ainda não consegue fazer isso, sempre há tempo de aprender. Essa atitude é fundamental para um negócio crescer e para as pessoas da equipe crescerem e se desenvolverem junto. 

Fácil não é, mas é possível utilizando a tecnologia a seu favor, sabendo gerenciar a rotina e as responsabilidades. A sua equipe precisa ter autonomia na medida certa para fazer as coisas acontecerem dentro de um ritmo produtivo e estimulante.

  1. Você sabe quais são as competências de cada um dos seus colaboradores e incentiva o constante desenvolvimento da sua equipe? SIM: 1 ponto

Uma equipe é formada por múltiplos talentos e competências e é isso que faz dela diferenciada e rica em aprendizados. Mas esses talentos e competências precisam ser mapeados e acompanhados para evitar que alguém se acomode ou se desestimule no caminho.

Uma equipe, para crescer, precisa estar constantemente alimentada com novos conhecimentos, trocar experiências, fazer networking, participar de eventos, ter vivências diferenciadas. Isso tudo estimula o autodesenvolvimento e o crescimento da equipe como um todo.

  1. Para fazer parte e continuar na sua equipe, o mais importante é que os valores das pessoas sejam condizentes com os valores da empresa/negócio? SIM: 1 ponto

Valores são ativos difíceis de ensinar a um profissional. Mesmo que ele os esconda na entrevista de admissão, no dia a dia, eles serão vivenciados, não tem jeito.

Por isso, é muito importante que você tenha bem claro quais são os seus valores e os do seu negócio. Dessa forma, na hora de contratar alguém, você pode deixá-los claros e evitar problemas futuros. 

Uma equipe precisa ter valores parecidos porque ninguém sai de casa sem os seus próprios valores, mesmo não querendo ou não tendo consciência disso. Eles moldam nossos pensamentos e atitudes e, consequentemente, tudo o que fazemos.

E você, tem claro quais são os valores do seu negócio?

  1. Você divide seus sonhos e objetivos com a sua equipe? SIM: 1 ponto

Dividir sonhos e objetivos não é só expor a visão e as metas da empresa. É mais do que isso. É dividir brilho no olho, é brindar cada pequena vitória durante a jornada, é comemorar junto.

Se você faz isso, a sua equipe se sente empoderada a fazer também. E isso gera uma conexão linda de se ver. Experimente! Não conheço ninguém que não se sinta bem em falar sobre sonhos e objetivos. É uma delícia!

  1. Suas palavras são condizentes com suas atitudes? SIM: 1 ponto

Coerência é querer que sua equipe se desenvolva e melhore a cada dia e fazer o mesmo, ou seja, estudar, se aprimorar, buscar autoconhecimento e crescimento individual. Antes de propor ao outro, faça por si. Esqueça aquele velho ditado: “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. 

As pessoas acreditam em quem acredita e faz, seguem os passos de quem caminha junto. Resumindo, seja o exemplo, inspire, incentive, lidere pela prática e não só pela palavra. Invista sua atenção no desenvolvimento da sua equipe!

Leia também: Liderança: como desenvolver e reter talentos na era dos empregos descartáveis

Antes que você me pergunte “cadê a dica 10?”, respondo agora: você já está de parabéns independentemente da sua nota nesse exercício. Você está interessado e quer melhorar o seu papel no desenvolvimento da sua equipe. Isso já é muito, acredite. Os próximos passos dependem de você. 

A dica 10 quero que venha de você.

Compartilhe comigo qual é a sua dica para incentivar o desenvolvimento de uma equipe. Vou adorar saber a sua opinião. Assim, crescemos juntos! 

Fonte:

Revista Harvard Business Review Brasil – Abril 2018 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here