Não faça isso se voce deseja conciliar carreira e família

Trago esse assunto aqui porque é um dos temas sobre os quais mais me questionam. Fernanda, como conciliar carreira e família, afinal? Muitos homens e mulheres, executivos e empreendedores de todas as áreas de atuação, querem ter uma carreira sólida e desenvolvida, mas também desejam formar uma família. Alguns ainda se culpam por quererem as duas coisas, como se fossem escolhas que não podem conviver uma com a outra em harmonia. Mas eu afirmo que, apesar dos desafios da missão (que não são poucos), é possível sim conciliar essas duas esferas tão importantes das nossas vidas.

Mudei o título desse artigo de “Como conciliar carreira e família, afinal” para “O que NÃO fazer para conciliar carreira e família”. Fiz isso porque a lista do que não fazer é muito maior e mais esclarecedora para tomar consciência de quais são as escolhas mais relevantes dentro desse objetivo. Vamos lá!

O que NÃO fazer para conciliar carreira e família:

1. Tentar fazer tudo sozinho(a)
E se orgulhar disso. Quem nunca? Sei que você é capaz de fazer tudo sozinho por um tempo. Mas se isso vira hábito, vêm o cansaço, a irritação, a falta de tempo para outras áreas da sua vida e para si mesmo, as brigas, e por aí vai. 

Tentar fazer tudo sozinho é o mesmo que não delegar. Exercer a maternidade sem ajuda. Exercer a paternidade sem auxílio. Independentemente da sua situação, já está comprovado por todos nós (não precisa nenhuma pesquisa) que essa atitude não dá certo, seja no trabalho, seja em casa. Deixemos os super-heróis nas histórias em quadrinhos e nos filmes. Na sua vida, seja real e orgulhe-se disso. Preste atenção: você não vai ganhar mais e nem ser mais amado se você fizer tudo sem ajuda. 

No trabalho, tenha pessoas nas quais você possa confiar para delegar tarefas, responsabilidades e metas. Para os assuntos de família, principalmente no que se refere aos filhos, construa a sua rede de apoio. Se a sua família mora longe, tenha amigos ou profissionais que possam ajudar você nas horas em que precisa.

2. Se acostumar a “apagar incêndios” sem planejamento

Planejamento é essencial para quem deseja conciliar carreira e família. Porque sem ele, você só vai resolvendo os problemas que vão aparecendo no caminho, “apagando incêndio”, como dizem. 

Se você tem um parceiro ou parceira, façam o planejamento juntos, inclusive com os filhos. Desenhem a rotina da família, com horários, atividades, obrigações, tempo livre etc. Dessa forma, vocês conseguem enxergar em que pontos estão os problemas e onde podem melhorar a gestão do tempo de todos. 

Outro ponto importante é definir as prioridades, ou seja, para o que você pode dizer não e para o que você não pode. É claro que de vez em quando você vai ceder em uma esfera e ser mais rígido na outra, conforme a necessidade do momento. Mas sabendo as prioridades, você tem um norte para guiá-lo pelo caminho.

Avalie os seus compromissos e coloque-os em uma escala de prioridades. Defina o nível de urgência e a relevância de cada um deles. Se alguma coisa for deixada para depois, como isso impactará na sua vida? Isso ajuda quando a coisa aperta e você precisa decidir o que fazer e o que deixar de lado.

Seguindo a mesma linha, elenque as tarefas nessas três categorias: compromissos obrigatórios (que geram prejuízos – não só financeiros – se não forem cumpridos), compromissos desejáveis (seria bom se fossem cumpridos, mas podem esperar), e compromissos desnecessários (facilmente adiáveis).

Lembre-se de fazer esse planejamento sempre olhando para os seus objetivos, metas e sonhos, afinal, são eles que regem ou deveriam reger a sua vida. E faça-o da forma que se sentir mais confortável, em papel, em planilha no computador, no celular, em aplicativo, enfim, como preferir. 

Leia também: Vida pessoal e profissional: existe ponto de equilíbrio ideal.

3. Não usar a disciplina e a organização a seu favor
Tudo o que facilita a sua vida deve ser levado em consideração quando o assunto é conciliar carreira e família. Dentro desse objetivo, a disciplina e a organização são aliadas poderosas. Com elas, você não perde tempo, energia e compromissos. 

A disciplina é fundamental para desenvolver competências, instalar novos hábitos na vida e para evoluir em todas as esferas que você deseja.  Com ela, você vai até o fim e não desiste, mesmo com os desafios pelo caminho. Algumas coisas que você ganha: mais foco, mais tempo livre, melhor qualidade de vida, menos frustrações e culpa; menos desculpas, uma rotina mais prazerosa, mais produtividade, mais sonhos e projetos realizados.

Sei, por experiência própria, dos benefícios que ela gera quando é praticada no dia a dia. Sem disciplina, estagnamos, não cuidamos de nós mesmos e nem fazemos o que deve ser feito no trabalho e na vida pessoal. 

E não basta ser disciplinado diante das obrigações impostas pelos outros (parceiros, colegas ou superiores). A disciplina é um valor que deve vir de você, perante os seus compromissos, suas prioridades e suas atitudes. É sua, empodere-se dela. Mantenha-se firme no seu objetivo e persista, mesmo com as dificuldades que possam surgir. 

A organização, por sua vez, evita o acúmulo de tarefas, coisas, sujeira e energia parada. É a base de um ambiente saudável e harmônico. Então, mesmo que você se ache na sua bagunça, ela não é benéfica para ninguém. Por tudo isso, use a disciplina e a organização a seu favor, estamos combinados?

4. Se culpar ou culpar os outros por suas escolhas

Não tem nada mais cruel do que se culpar por escolhas já feitas. Se é passado, não existe nada que você possa fazer a respeito, a não ser aprender. Saber usar o seu passado como aprendizado e sabedoria faz você ganhar pontos no futuro. 

Na mesma linha, culpar os outros pelas suas escolhas pode até parecer cômodo, mas faz um estrago gigantesco nas suas relações e na sua cabeça. A autorresponsabilidade é essencial para saber que você é o único responsável pelas suas decisões e, como tal, tem o poder de mudar a sua realidade para melhor ou para pior, depende do que você escolher. 

Portanto, se você quer conciliar carreira e família, praticar a autorresponsabilidade e inspirar as pessoas a sua volta a fazerem o mesmo mantém a saúde das suas relações e a sua saúde mental também. Isso não acontece da noite para o dia, mas o importante é tomar consciência do processo e decidir mudar de atitude. Reflita sobre isso.

Leia também: Como conciliar empreendedorimo e maternidade.

5. Não viver o presente
Essa atitude gera ansiedade de se preocupar demais com o futuro, e episódios depressivos decorrentes de se olhar muito para o passado. Portanto, aproveite ao máximo cada momento com sua família, com seus amigos, trabalhe com foco total no tempo que você tem para trabalhar. É isso o que importa e faz a diferença, e não a quantidade de tempo que você tem para cada coisa, entende? 

Viver o presente é estar 100% focado em cada atividade. Isso faz com que você dê o seu melhor em cada coisa que fizer. Sabe os benefícios dessa atitude? Como o meu querido Joel Jota diz: “onde você foca expande.” Dessa forma, você entrega trabalhos melhores e mantém relações de maior qualidade. Você se torna alguém com quem as pessoas gostam de estar, se sentem especiais porque você dá atenção a elas. Vale muito a pena, não é? 

Então, o que achou das dicas do que NÃO fazer para conciliar carreira e família? Se enxergou em algum ponto? Se quiser mais um empurrãozinho, conta comigo.

QUERO MINHA PLANILHA DE AUTOGESTÃO AGORA!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here