Geralmente, quando ouvimos alguém falar em feedback perto de nós já sobe um frio na barriga. E você sabe por que isso acontece? Porque, em suma, temos o feedback como sinônimo de algo que machuca ou que possa ser ruim.

Dar ou receber um feedback é uma das coisas mais delicadas e mais importantes que podemos fazer com quem convive conosco, isso porque é através dessa ferramenta que grandes construções podem ser feitas, bem como o direcionamento e ajuste de habilidades de qualquer ser humano em qualquer estágio da sua vida.

Dentro de empresas o uso dessa ferramenta ajuda a direcionar equipes e extrair a singularidade contida em cada um. Mas não é apenas falar o que se pensa após observar alguém por 30 minutos.

Dar um feedback é um processo de observância, análise, ponderação e compreensão.

É quando entendemos o que vimos, ouvimos e sentimos no ambiente e geramos compreensão através de empatia.

Dar um feedback é um processo utilizado para uma construção positiva e que gere uma forma melhor ou até mesmo nova de fazer.

Quando o processo do feedback é executado, cada pessoa reage à sua maneira usando como influenciador direto as variadas situações do dia-a-dia, por exemplo: quando está triste pode reagir chorando, ou pode rir quando está feliz.

Cada um tem reações próprias para as situações vivenciadas.

Independente da vontade ou sentimentos, as pessoas, principalmente dentro das empresas, encaram seus próprios desafios na busca de melhor qualidade de vida profissional e social.

Essa busca é constante, porque quando se alcança um objetivo, logo surge outro, então passa novamente a traçar estratégias para a conquista.

Se para quem dá o feedback o processo melhora a entrega, a transformação e o resultado, para quem o recebe, é uma poderosa oportunidade para criar um entendimento maior do que está circulando ao seu redor e introduzir uma nova maneira de executar.

“Feedback não é falar o que se pensa com julgamento.”

Por isso é fundamental saber falar, a maneira adequada e a linguagem a ser utilizada, mas sobretudo, é preciso saber ouvir. De nada adianta um bom feedback sem a pessoa estar preparada para recebe-lo e conseguir processa-lo de maneira racional e estratégica.

É muito importante ressaltar, feedback não é falar o que se pensa com julgamento. Se você ainda estiver com essa ideia para usar essa ferramenta, sugiro que volte ao topo do artigo e recomece a leitura.

Processo do feedback

Os escritores Keith Davis e John Newstrom em seu livro Comportamento Humano no Trabalho, fazem uma definição importante e pontual sobre liderança em uma empresa:

“o sucesso da liderança depende de comportamentos aprimorados, habilidades e ações e não de traços pessoais. Isto é muito significativo, uma vez que comportamentos podem ser aprendidos e modificados, enquanto que traços são relativamente rígidos.”

Essa é uma grande sacada de influência no ambiente, tão logo você é, você inspira outras pessoas a fazer e cria um efeito cascata de bons hábitos e boas relações.

Você percebe, para um bom feedback, comece inspirando o ambiente através do seu comportamento e esse processo será mais fácil para ser aplicado.

É preciso se preparar

Queremos ser aprovadas, reconhecidas e plenas. Não suportamos errar e por isso, nossa auto cobrança é gigante.

Mas em algum momento o feedback passa por nossa vida e precisamos estar preparadas para esse momento para torna-lo especial e desafiador e não ficarmos presas aos sentimentos de medo e rejeição.

Como receber um feedback?

Faça uma avaliação sobre sua performance, analise seus pontos fortes e seus pontos e melhoria. Observe o ambiente e perceba o que mais ele precisa além da entrega que ele já recebe de você.

Reflita sobre os seus sonhos e sobre o lugar em que você quer chegar, isso vai ajudar você a ter clareza sobre a sua performance profissional e sua construção em equipe.

Não se justifique. Abre a mente e o coração e se permita ouvir. Perceba suas emoções enquanto você recebe o feedback de alguém, e entenda o que essas emoções comandam sobre sua entrega no dia a dia.

Você não precisa resolver nada ali na hora, você precisa apenas perceber o universo diferente a sua volta e a oportunidade de fazer mais e melhor.

Pense bem sobre as novas ideias e se torne responsável sobre tudo o que você impacta no ambiente.

NINGUÉM ALÉM DE VOCÊ PODE DECIDIR A MARCA QUE VAI DEIXAR NO MUNDO.

Comprometa-se, desafie-se, ouça, aprenda, questione e coloque em pratica a sua melhor versão. Você é dona do seu destino, protagonista da sua vida, da sua história. A caneta está na sua mão. 

Então, toda vez que passar por algum momento de feedback em sua vida, lembre-se da importância de falar e de ouvir.

Lembre-se de baixar o seu julgamento em cada uma dessas etapas e faça tudo o que estiver em seu alcance e que você possa fazer com amor.

Esse processo se tornará cada vez mais poderoso na sua vida!

Gostou dessas dicas? Deixe seus comentários, dúvidas e sugestões!

Até o próximo post,
Com carinho,

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here