Um fato assustador. Harvard aponta em pesquisa que 10% da população pelo menos sofre de depressão.

Mas antes de falarmos em depressão, vamos entender o que é, e o que envolve a saúde mental. Provavelmente esse tema surja de forma muito sucinta em rodas de conversa aos finais de semana, e as vezes nem chega na vez, mas para falar sobre a importância da nossa saúde mental, é preciso compreender seu significado.

Saúde Mental é o equilíbrio emocional entre as emoções internas e as exigências ou vivências que vem junto com os fatores externos. Em equilíbrio de suas funções, é ela quem determina a capacidade em administrar as emoções em nossa vida e o resultado que elas podem produzir no cotidiano, sem que para isso, o indivíduo perca a noção de seus valores e do que lhe consta como importante.

Uma pessoa com a saúde mental em equilíbrio busca por uma vida plena e de realizações, sem, contudo, invadir o espaço do outro. E isso acontece quando se está bem consigo mesma e com os outros. Quando você consegue aceitar situações da vida, mesmo aquelas que não lhe convém em totalidade, usando para si o que lhe acrescenta e traz benefícios sem causar sofrimento.

A maior prova de que sua saúde mental está bem, é quando muito além de lidar bem com alegria, amor e energia positiva, você consegue lidar com frustrações, raiva, medo, ódio, culpa e tristeza, sem que isso interfira ininterruptamente em seus dias. Para esse cenário, é preciso que você conheça os seus limites.

O que é depressão?

Caracterizada por alterações de humor, a depressão pode ser considerada a doença que tira o sentido da vida. A depressão surge após uma somática de situações em que a mulher não consegue lidar com suas emoções. Às vezes o stress do trabalho ou a cobrança da família, da sociedade, fazem com que o julgamento consigo mesma aumente de forma gradativa e sem filtro nem controle.

A depressão está ligada ao último estágio da dor humana e é por isso que se torna tão perigosa quando não há tratamento e acompanhamento.

Conhecida pelos sintomas descritos como irritabilidade, perda de interesse, tristeza, atraso motor ou agitação, ideias agressivas, desolação e múltiplas queixas somáticas como insônia, fadiga, anorexia, a depressão a cada dia arrasta mais pessoas para seu mundo. Um mundo que só tem uma forma de ser modificado, e essa forma é entender o estado comportamental da sua mente.

Em outras palavras, isso quer dizer que é preciso entender a emoção e o evento que originaram esse processo e o que vem fomentando esse estado com a passagem dos dias. É delicado, e precisa ser feito por um profissional apto, porque uma pessoa em estágio de depressão fica muito mais vulnerável e acaba por vezes não tomando decisões conscientes.

E todas nós estamos expostas a esse cenário. Por isso, precisamos levar a sério o cuidado com a saúde mental, estar ciente de que nossa mente precisa de alimento igual nosso corpo físico, e também de movimento, sobretudo entender que ações do nosso corpo físico interferem no surgimento dessa doença. E é por isso que é tão importante se alimentar de forma saudável e manter alguma atividade física constante na jornada.

Além do monitoramento da saúde mental, uso de bebidas alcóolicas em excesso, drogas, e até mesmo medicações sem orientação e em grandes quantidades, podem alterar e influenciar o surgimento e agravamento dessa doença.

Como tratar?

Pedir ajuda para quem pode nos ajudar, entender quem de verdade somos e o que buscamos nos torna mais leves. E a leveza é a condução da nossa saúde mental. Ser a pessoa mais importante da nossa jornada para nós mesmas e nos amarmos, são ingredientes primordiais para uma vida plena.

Quando esse ciclo sofre alteração, é preciso buscar ajuda de um psiquiatra e de um psicólogo. Você não vai apenas tomar uma medicação para influenciar a química do seu cérebro a ficar equilibrada. Você vai até a raiz do problema, no seu tempo, a fim de curar aquela dor. Substituindo aquele evento por outro que consiga modificar a sensação que você obteve até então.

Esses profissionais ainda vão te ajudar e ensinar a filtrar as emoções e a forma como elas são encaradas por você no seu processo de evolução, oportunizando um encontro com você mesma, com o que você sonha e busca, lembrando o verdadeiro sentido que a jornada tem para você.

Cada ser humano leva um tempo nesse processo, alguns em questão de meses saem do estágio da doença, ou levam anos. Outros nunca chegam a se curar, e ainda existem aqueles que não resistem as reações da doença. O nosso papel como cidadão provedor da cidadania é não julgar as pessoas com essa doença, pois cada palavra pode ter um peso gigante para quem está depressivo. Devemos criar empatia, e tentar mostrar o esperançar de dias melhores, com amor e carinho. Somente assim, juntos aos profissionais da saúde, é que podemos de alguma forma intervir e ajudar quem sofre desse mal.

Se você conhece alguém que está nessa jornada, ou se esse alguém é você, não se esqueça que recomeçar faz parte da jornada humana, e que uma vida de amor e plenitude foi reservada para cada um de nós por Deus.

Gostou dessas dicas? Deixe seus comentários, dúvidas e sugestões!

 

Até o próximo post,
Com carinho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here